Formação, formação e formação: 12 dias, 3 destinos

Formação, formação e formação: 12 dias, 3 destinos

Mais uma viagem.

Em cima da cama mais uma mala grande atulhada para os 12 dias que me esperam. Frio, muito frio e chuva. Casacos para todas as temperaturas, duas botas, umas para a neve, outras para tudo o resto. Um vestido para um jantar de gala, e muita roupa de treino. Tento colocar só o que vou mesmo usar, mas fica difícil não levar algo a mais para o caso de…ir jantar fora, até estar mais calor, até estar mais frio, ter de dar mais treinos e precisar de mais roupa. Tantos anos de experiência a fazer malas, espero não falhar nada, não há como voltar atrás.

Aguardam-me cinco dias perto de Geneve onde vou dar formação de Matwork avançado para o Pilates Institute Suisse. Cinco dias em Zurique a receber formação de Spiraldynamik onde vamos ter avaliação, e completamos o terceiro ano com a escola. Desta vez uma viagem com a companhia de Sónia Abrantes, onde vai dar para pôr um pouco a conversa em dia. E a terminar dois dias em Braga onde vou dar sessões na Convenção da Manz.

Respirando fundo, e depois da mala feita, já a caminho do aeroporto, o sentimento é “viver um dia de cada vez”. Muitos ambientes diferentes, solicitações diferentes, há que aproveitar tudo e não deixar que o comprimento dos dias e das tarefas me façam já começar cansada antes de iniciar. No aeroporto com poucas horas de sono, preparo-me para mais uma sesta no avião. Na saída, o almoço na gare de comboio no sítio do costume, faz-me começar a entrar na minha segunda casa. Já em Versoix, a Sophie vem buscar-me à estação. Oportunidade para saber as novidades, e preparar a formação. Na FITS PRO, trocar de roupa para os treinos que tenho marcados. A minha aluna do costume, que vem sempre quando estou na Suíça, um PT que quer perceber mais de Pilates e fica muito interessado depois na formação. E o dia termina. O carro vermelho da empresa passa a ser o meu carro, e estou de ida para Divonne Les Bains. O aparthotel acolhe-me. A cama larga branca, o chão de madeira, a mini cozinha de apoio, e rapidamente estou instalada. Jantar no bistro ao virar da esquina, e dormir.

Os quatro dias de formação voam. Um grupo tranquilo, muito atento e interessado, e a formação desliza entre os movimentos e os corpos de quem na sala pede ajuda. Um grupo heterogéneo, com perguntas individuais que enriquecem o grupo. Que bom é fazer parte do caminho de outras pessoas, e estar lá na sua busca de conhecimentos, e no apoio às suas escolhas. Ser uma ponte com as possibilidades, e uma luz nos diferentes caminhos. O jantar com a equipa no sábado, trás conversas e matar saudades dos Gall, que dirigem a escola. Que bom estar com a Isabelle, muito assuntos num jantar de amizade e cumplicidade.

A viagem para Zurique leva-me de noite pela beira do lago. No apartamento, a Sónia Abrantes já está instalada. Vamos para a nossa terceira formação de Spiraldynamik, com exame incluído. A conversa rola tranquila e dormimos cedo. Temos um dia intenso quando acordarmos. De manhã as pernas rápidas da Sónia sobem a ladeira e num ápice perco-a de vista. Já na escola é a emoção de reencontrar caras conhecidas, e pessoas que adoro com quem vou passar os próximos dias. Michael Fritzke e Ton Voogt, que nos trouxeram para esta formação estão como sempre sorridentes e bem dispostos.E os abraços seguem pelo grupo num reencontro de pessoas que maravilhosas, que amam aprender. São 5 dias intensos de formação com Christian Heel, extraordinário no ensino e na abordagem pedagógica. A Mónica Straub que nos deu a primeira formação, acompanha atenta a evolução de todos. São dias felizes, com muita conversa e muita aprendizagem. No apartamento à noite, dormir cedo é o mote. O cansaço toma conta de nós, e o meu computador, sempre cheio de emails, fica com tudo o que é prioritário feito. O resto, quando voltar. A formação termina e somos Spiraldynamik Certified Movement Teacher após passar a avaliação.  Um orgulho ter feito este percurso com esta escola. Tanto que aprendi com a técnica e com o lado humano de quem nos conduziu hábil e pacientemente ao longo destes dias.

Já no aeroporto temos tempo para um chocolate quente na Lindt, antes de cada uma seguir o seu caminho. Despeço-me da Sónia que regressa a Lisboa.

A minha viagem é para o Porto, e leva-me mais uma vez a chegar já de noite a Braga. Bem instalada, vou bisbilhotar o pavilhão onde vão decorrer as minhas sessões na Convenção da Manz. A azáfama é grande. Vejo a Margarida Manz em grande ação, mas sempre com tempo para um momento de acolhimento e simpatia. Que bom é estar aqui. No dia seguinte os corredores estão fervilhando de gente. As salas do pavilhão cheias. As minhas sessões de Step up your Pilates,  Pilates com toalha e Pedagogia, estão cheias.E nelas encontro um grupo caloroso de profissionais a quem passo o material que preparei umas semanas antes do evento. Gosto tanto de dar formação! A paixão do que faço sobrepõe-se ao cansaço desta maratona que leva já quase duas semanas. No meio da feira vou reencontrando colegas, misturando-me em grupos e conversas. A Margarida Manz continua a ser a pessoa que mais vejo. Está sempre atenta e em todo o lado. Na noite da gala a equipa de formadores da Manz acolhe-me na sua mesa, e sinto-me em casa. Que bom rever tantas pessoas de quem tanto gosto. No regresso, a Rita Rainha cuida de me fazer chegar a casa. Regresso a Lisboa com a equipa de “bastidores”. São eles que trabalham afincadamente a organizar tudo e que fecham a porta no fim. Quando tudo está arrumado, sou integrada na equipa, coordenando um exercício de final de Convenção. Massagens nos ombros para todos em circulo. Bem merecemos todos. E é hora de jantar. Fico junto do André Manz e a conversa rola muito divertida. Autocarro e estou de volta a Lisboa. Mais uma boleia e dou por mim a desmanchar a mala pesada que me acompanhou neste dias. Quando caio na cama não consigo deixar de sorrir. Gosto tanto o que faço. O amor vem de tantas formas. Esta é uma delas.

Deixe uma resposta